Terça-feira, 8 de Novembro de 2011

Indignidade

Ainda não faz um ano que andava por aí um fulano a interpretar o personagem de primeiro ministro. Ainda nem há um ano "estávamos todos bem", com o desemprego a aumentar, mas embuidos de um optimismo inspirado por esse ator. Afinal de contas, "não era possível que nos estivesse a enganar tão enormemente"!

Pois é, mas estava! Ia pedindo cada vez mais dinheiro emprestado para pagar as inúmeras obras que tinha de contratar aos "amigos". Até que mais ninguém lhe quis emprestar ao juro a que estava habituado... sem dinheiro, é mais difícil fazer política... decidiu ir estudar filosofia para a Sorbonne. Parece que à terceira conseguiu entrar no curso, recorrendo à influência (vulgo cunha) do embaixador...

 

Para trás deixa-nos a nós, portugueses de gema e seus conterrâneos, a braços com uma das piores e mais graves crises desde que há democracia em Portugal. A troco de um novo museu dos coches de proporções bíblicas, de uma barragem no Tua que irá produzir para uma população inexistente, de parcerias nos hospitais públicos, deixa-nos na maior miséria. Enquanto Vara e Coelho recebem cerca de 700.000€ por ano cada, os portugueses vêm-se a braços com níveis de desemprego record, com desigualdades sociais de que não tenho memória.

 

Quando li esta notícia no jornal fiquei chocado. “Preciso de pôr comida na mesa”. Quando o que está em questão é a fome, é a vida dos que nos são queridos, vale tudo. Mas até no desespero existe dignidade, o ladrão não fez mal à empregada, pediu-lhe o dinheiro e saiu.

 

A alienação da realidade, a mais absoluta inconsciência deste "senhor engenheiro", trouxe-nos a isto. A maior indignidade, o abuso de poder. Prenda-se o senhor engenheiro por malfeitorias à nossa pátria. Nacionalizem-se as suas contas na Suíça e moralizem-se os cargos de gestor das empresas públicas!

 

Se alguém me estiver a ouvir, esqueçam a ideia de reduzir o horário dos transportes, ok!!? Esqueçam!

 


publicado por BigJoao às 01:55
link do post | Comentar retratos | favorito
Quinta-feira, 24 de Janeiro de 2008

O nosso filósofo

Hoje li um post sobre o Sócrates, a quem chamavam Zezé, que me fez lembrar o próprio, o nosso primeiro.
Estava eu tão descansado na vida e de repente obrigam-me a pensar no Zezé!!!! É revoltante!
Um tipo que está a fazer recuar o sistema de ensino em Portugal sob o pretexto da racionalização, um tipo que, sob o mesmo pretexto, está a deixar sem cuidados de saúde uma parte da população portuguesa, um tipo que se apodera sem pudor, do maior banco privado do país, está agora a reorganizar o sistema eleitoral nas autarquias para algo completamente obnóxico!!! Está a acabar com as soluções de compromisso nos municípios, que na maior parte das vezes têm resultado minimamente. Imagine-se este país, se as câmaras tivessem tido maiorias absolutas desde a revolução!
Os diversos partidos têm o dever de controlo e denúncia das actividades ilícitas dos governos camarários, se mesmo assim há panelinhas, imaginem como vai ser...

Assistimos a isto sem um murmúrio, salvo a excepção da Anadia, ninguém diz nada. Andamos todos a tratar das nossas vidinhas, pior vai ser a dos nossos filhos e a dos deles.

Não liguem, foi só um desabafo para o teclado... o Zezé é o maior e o pior é que não há alternativas.
Prometo fazer um programa, se alguém estiver de acordo e me apoiar ... concorro às legislativas. :)


publicado por BigJoao às 16:28
link do post | Comentar retratos | comentários aos retratos (1) | favorito

.mais sobre o Big

.pesquisar

 

.Novembro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29


.posts recentes

. Indignidade

. O nosso filósofo

.Posts do tempo da Maria Cachuxa

.tags

. todas as tags

.Links

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds