Domingo, 19 de Outubro de 2008

O Vasilhame

Os sites sociais têm tudo a ver com a imagem. Claro que existe o resto, a conversa, o trato, as ideias, etc. mas, continua a ser curto. Como meio de comunicação é muito limitado.

Confesso que começo a ficar farto da importância do vasilhame. Claro que a imagem é importante, mas não lhe dêem mais importância do que aquela que realmente tem. As ideias são importantes sim, mas as ideias não são tudo, há comportamentos, há os gestos, etc...
Para que querem as pessoas criar imagens idílicas à sua volta, se depois interiormente estão em desarmonia com o mundo? Somos todos humanos, mas alguns parecem mais iguais que outros. Parecem achar que não têm valor se não se rodearem de uma série de estereótipos de pseudo-bem-estar.



Amanhã vejo isto melhor, também eu estou em contra-ciclo com o mundo. Como a economia.
Nem consigo transmitir o que sinto.

E que sinto eu?

Um vazio, um espaço enorme cá dentro que já esteve preenchido, completa e absolutamente preenchido, que transbordava de vida, planos e ideias. Afinal esvaziou-se como um balão de ar.
Estou plenamente convencido (maluco mas convencido) que tal preenchimento atentava contra a ordem natural do mundo. Senão vejamos:

1. Em Março o Barril do petróleo estava a 70$, não parou de subir, atingindo os 140$. Desde Setembro até agora, não parou de descer, já vai em 62$/barril. O que estava a ser quase insuportável, tornou-se simples.
2. As despesas dispararam levando a uma pré-bancarrota. Em Setembro recebo a devolução do IRS que vem re-equilibrar as coisas.
3. Do lado contrário, o emprego quase voou, aparentemente já voltou a estar seguro.
4. Existia uma viagem em perspectiva, ironicamente desapareceu, voltando a aparecer agora.

Que sinto eu? Que sinto eu? Que sinto eu? O que é que eu sinto? Sim! O que é que eu sinto!?

Sinto-me um boneco manipulado pela vontade dos deuses. O que me estará reservado, se não pode ser o que quero, como podem vocês subir o petróleo, cortar o emprego, cancelar viagens?
Vocês estão tramados comigo, o que é que pensam que me põem a fazer? Acham que a minha vida vai ser como vocês planearam? Onde fica o livre arbítrio no meio disso tudo?

Não devíamos andar cá para sermos felizes? E isto! É alguma forma de felicidade? Bem sei que podia ser realmente infeliz...

ok, eu obedeço e resisto e aguento e não choro e não desisto e fico e finjo que estou bem e ... um dia desmonto-me.


publicado por BigJoao às 18:20
link do post | Comentar retratos | favorito
Terça-feira, 30 de Setembro de 2008

Talvez...

Pela lufada de ar fresco, pela tranquilidade, pelo afecto, pela paixão, pelo amor, pela dedicação, pelos cozinhados, por me teres ensinado a gostar e entender o cão, pela simplicidade, pela ajuda na mudança, pela compreensão, por cada vez que acreditaste, por pensares em mim, pelas prendas, pelos jantares, pelas noites, pelos dias, pelo sono tranquilo, pelos pensos do nariz, por estares sempre lá, pela chave, por cada vez que foste aos correios, pelo teu toque, por me ensinares a negociar motas, por deixar as coisas da barba na tua casa, pelos pequenos almoços, pelas "green", pelas idas ao cinema, pelas emoções, pelo que me fizeste sentir, por me teres emprestado o carro quando isso foi essencial para estar com o meu pai, por teres ficado com o cão nessa mesma altura, por teres ficado com o cão nas outras alturas, por teres gostado de mim, por me teres apresentado aos teus amigos, pelos petiscos, por me teres aturado com um copito, pelo moscatel, pelo cajú, pelos sonhos a dois, pela forma como te abraçavas a mim durante a noite, pela forma como me abraçavas durante o dia, por teres encontrado uma solução de limpeza para as coisas do cão, pela limpeza da casa, pelo feitio irreverente, por me teres chamado à razão com a questão do cartão de fotografias, pela ida à Ovibeja, pela volta da Ovibeja, pela fartura em Beja, pelo Rock in Rio, pelo Delta Tejo, por me teres deixado descobrir-te, pelas caretas, pelo cabelo único, pela sensualidade, pelos teus beijos, pela forma como encaixavas debaixo do meu braço, pelo teu cheiro, pelos teus olhos, pelas tuas mãos, pelos teus lábios, pela música, por ti.

Adoro-te, mas não consigo estar contigo.

 


publicado por BigJoao às 18:08
link do post | Comentar retratos | favorito
Segunda-feira, 23 de Junho de 2008

Recordações

Já passaram 17 dias e 40 minutos.
Só ficaram as recordações, as boas, as menos boas e o teu exemplo de vida. A tua coragem até ao fim. O pensares nos outros mesmo quando visivelmente sofrias os horrores do mal que te consumiu. "Está tudo bem" dizias agonizante, "está tudo bem", enquanto o fôlego te fugia. Traído pelo corpo que te abrigou o espírito durante anos. Não suspeitava que o ser humano fosse tão resistente. Aflige-me o sofrimento por que passaste, tão injusto, tão inútil e inglório.

A mãe anda a resolver assuntos, mantendo-se ocupada para não pensar, para se distanciar das noites silenciosas que agora vive. Nem se lembra como era a vida sem a tua presença. Tentamos arranjar-lhe programas todas as noites, rodea-la com os netos, mas fazes-lhe falta, fazes-nos falta.
Continuo a tentar racionalizar e pensar que o normal é os pais irem antes dos filhos, mas isso não me diminui a dor, o sofrimento, a sensação de perda.
Gosto de ti Pai.


publicado por BigJoao às 04:05
link do post | Comentar retratos | favorito
Segunda-feira, 5 de Maio de 2008

Este rio

Este rio que nos separa e divide, que atravesso vezes sem fim a cada dia, a cada hora, quando revives em mim, sempre que me lembro de ti. Estas vidas divididas, separadas, que juntamos numa sofreguidão de amantes, no afã dos pedintes, constantemente contrariadas pelos Deuses, que parecem gostar de testar a fortaleza das emoções.
Experiências apartadas, empurradas, comprimidas, num joguete incerto, numa montanha russa de emoções contraditórias, como que ignoradas pelos transeuntes, de tudo alheados.
Quem resiste, quem sobra para contar a história destas vidas armadilhadas?

Desço o elevador inseguro do amanhã, procuro as chaves do carro, da felicidade, mais uma vez atravesso a ponte numa pressa, numa urgência do teu beijo. Esse beijo que me negas, sem te importar que só ele me dá vida, me recupera do meu sono moribundo de sapo desencantado. Um dia sem ele e afundo-me em tristeza.
O elevador move-se

Ao teu lado, tudo tem lógica e sentido.
São os teus olhos que me preenchem, o teu sorriso que me alegra, o teu abraço que me reconforta, mas só o teu beijo me dá vida.

 


publicado por BigJoao às 04:28
link do post | Comentar retratos | favorito
Domingo, 27 de Janeiro de 2008

Abraços

Gosto de abraços! São genuínos e transmitem sempre, tanto o teu estado de espírito como o de quem te abraça. Revelam o teor da relação! :) Vamos abraçar!!! :) Só pode fazer bem!


publicado por BigJoao às 00:47
link do post | Comentar retratos | favorito

.mais sobre o Big

.pesquisar

 

.Novembro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29


.posts recentes

. A pele

. Quente

. Crescemos

. Que estranho...

. Pensa em mim

. Parabéns!!!!

. Insanidade

. O beijo

. Santo Ovídio

. O abraço

.Posts do tempo da Maria Cachuxa

.tags

. todas as tags

.Links

.Contador

blogs SAPO

.subscrever feeds